quinta-feira, 24 de julho de 2014

Sim, vou pensar que isto interessou a alguém

Pensavam que no fim de semana passado eu não tinha visto filmes? Pois, apesar do meu super radical dia de sábado, e do consequente cansaço no dia seguinte, que foi colmatado com uma sestinha, arranjei um bocadinho para ver este filme. Já tinha visto o início numa aula de história do 9º ano e tinha gostado, mas como a aula era de 90 min e o filme dura mais de 3h00, com muita pena minha não deu para ver tudo. Passados mais de dez anos vi o filme e gostei muito, até ao ponto em que se pode dizer que se gosta de um filme sobre um assunto tão cruel como o Holocausto, que apesar de eu saber que foi real e que aquelas atrocidades realmente aconteceram, às vezes parece impossível acreditar que tamanha crueldade ocorreu. Apesar da tamanha crueldade houve alguém que fez tudo o que estava ao seu alcance para conseguir salvar o maior número possível de pessoas de um destino muito cruel e triste. E quando Schindler se sente miserável por ter salvado pouco mais de mil judeus, um deles diz-lhe uma frase do Talmude, "Whoever saves one life saves the world entire".

4 comentários:

Yah Nick disse...

Um grande filme, não só pelo tamanho. Não gosto muito de ver filmes sobre o holocausto, nem sobre escravatura (tenho o 12 anos escravo desde o Natal e ainda não vi), mas este foi muito bom.
Olha lá, o Talmude não está escrito em hebraico? Então porquê a frase em inglês? Podias ter traduzido logo. Nós sabemos que és quase doutora, não precisas de justificar nada. eheheh

Isy disse...

Não sou grande fã de filmes sobre o Holocausto por isso é raro ver...

Bjxxx

maria umbelina disse...

Yah Nick,
vi alguns, tanto sobre o holocausto como sobre escravatura, mas não são os que me chamam mais a atenção, no entanto costumam ser bons filmes.
Era mais fácil de copiar a frase :P
Off toppic, como tens o blog privado, acho que amanhã é o dia c, de cirurgia. Espero que tudo corra bem! Muita força! :)

maria umbelina disse...

Isy,
já vi alguns, e tirando os nervos que aquelas maldades que eles representam me fazem, vejo.
Beijinhos