quarta-feira, 19 de novembro de 2014

É muita habilidade junta

As rotundas, e eu num pequeno percurso de 6 km tenho de contornar cinco (!), que pululam por estes caminhos de Portugal são um autêntico desfile de habilidosos, ou maçaricos, depende dos casos. Eu compreendo que seja difícil ter de contornar um obstáculo, ainda por cima redondo ou curvo ou whatever, afinal, desconfio que para muita gente, se as estradas fossem sempre retas, seria sonho de uma vida! Acho que um certo núcleo de condutores devia criar um movimento, ou uma associação ou uma petição, o que for mais conveniente, para as estradas serem sempre em reta, sem curvas, cruzamentos, entrocamentos e essas coisas que nos fazem rodar o volante para a esquerda e para a direita, afinal para a frente é que é o caminho! Há pessoas assim, que para elas é sempre em frente, sempre a abrir! Stops? Que é isso? Cedência de passagem? Isso existe? Passadeiras? Nós não estamos a limpar os pés! Mas depois há pessoas que até têm o trabalho facilitado, mas gostam de mais uns floreados e de fazer umas acrobacias, deve ser para testar se a direção da viatura funciona. É que não há outra explicação para um/a individuo (não sei precisar porque era de noite), numa rotunda com três faixas para circular, para sair na primeira saída e, depois de já estar na faixa mais à direita ao entrar na rotunda ir às três faixas e depois sair na primeira saída. É preciso ser muito ás do volante!

2 comentários:

JS disse...

Ora, isso nem é preciso ser dia para perceber que era uma gaja, de certeza. eheheheh
Estou a gozar. eheheh

Mas por acaso já vi duas, na mesma rotunda, a fazerem marcha-atrás.
Será que durante o período de aprendizagem, ninguém ensinou às criaturas que dando a volta a uma rotunda vamos parar ao mesmo sítio? eheheh

maria umbelina disse...

JS,
com aquele gás todo, era gajo de certeza! Acho que nós, mulheres, com a fama de maçaricas que nos dão, íamos mais devagar!
Marcha-atrás numa rotunda??? Uau, ou melhor, que medo!
Devem ter faltado a essa aula :P